segunda-feira, 22 de março de 2010

"Sempre te amei sem saber o porquê. Não preciso de porquês, é mesmo assim. Mas mais do que porquês ou razões adoro olhar para ti e perceber o quanto gostas de mim. Não preciso que mo digas para saber e não há segurança maior do que a certeza das coisas que são ditas sem palavras"



Um comentário:

  1. Como já disse, escreves de uma forma tão doce, maravilhosa (:

    ResponderExcluir

meus seguidores.