sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sofro por antecedência, morro antes de levar o tiro e, por andar a sentir tantas vezes o mundo a cair sobre a minha cabeça, aderi a política irónica do "tanto faz"... Vou ver esta mudança como uma forma mais simples de eliminar da minha mente perigosa tudo o que um dia me fez mal: amores não correspondidos, cartas e fotografias antigas, ou seja, pequenas partículas que compuseram o meu passado. Quase que ando a obrigar o meu cérebro a engolir a ideia simplista do "tou me a cagar, seja o que for"; não que eu seja simples, antes pelo contrário, sou uma pessoa muito complexa, complexa de mais até, mas vejo isto como uma forma mais fácil que encarar o futuro que me espera, as drásticas mudanças que vão suceder na minha vida. Eu sei que vocês me dizem "calma, não faças uma tempestade num copo de água", mas não dá... bem, vou retornar à minha ideia simplista para ver se engano a mente enquanto posso

4 comentários:

  1. Muito bom!
    Isso pelo que estás a passar a meu todos nós num momento ou outro o experênciamos, não é algo necessariamente terrivel, se o observarmos do lado de fora podemos chegar á conclusão que é apenas uma forma de nos estabilizarmos e encontrar-mos o nosso verdadeiro objectivo nesta vida, tão simples mas tão complicado...
    Força (:

    ResponderExcluir

meus seguidores.